Leave a comment

THE E-BOOK IN BRAZIL / O E-BOOK NO BRASIL

New Weekly Post goes up every Wednesday at 8:30PM EST

BRAZIL TODAY
A versão em Português segue

Brazil has a population of 200 million people with increasing consumption among those in high and low income classes alike. The country’s economy is the largest in South America. It has well developed agriculture, mining, manufacturing, and service sectors.

Since 2003, Brazil has improved its macroeconomic stability, built foreign reserves, reduced debt, kept inflation rates under control and committed to fiscal responsibilities. This development has placed Brazil among the world’s ten largest economies.

WHO’S IN E-BOOKS IN BRAZIL

Amazon, Google and Apple have announced their plans to start operations in Brazil, and the first two have already made hires to develop their e-book businesses in the country. So far, the only international company already operating in Brazil is Copia, which powers Submarino Digital Club, currently offering 9,600 e-book titles in Portuguese.

In April Todd Humphrey, EVP of business development at Kobo, the Canadian e-book company, was in Brazil to attend the Rakuten Super Expo and he told the Brazilian news portal Terra that the company was going to start operations in the country in the second half of 2012. According to him, both e-books and devices should be available by the end of the third quarter, in time for Christmas sales.

E-READERS AND TECHNOLOGY IN BRAZIL

Brazil now has a minimum set of devices to read e-books. It is estimated 400,000 iPads, plus one million iPhones. The numbers of e-Readers in Brazil are still uncertain, but there are at least tens of thousands – bearing in mind that many models are on sale in the country since 2010 / 2011, in addition to the Kindle. How many of them are Kindles, we do not know yet.

To popularize the digital book, it is necessary to have the digital reading devices easily accessible – both economic and technological. The most widely used interface for reading e-Books in Brazil is the traditional PC, either desktop or notebook. According to data from FGV, 60 million computers were in use in 2011, and will be 100 million in 2012. The main place of Internet access is the Internet cafe (31%), followed by home (27%) and the home of relatives of friends, with 25%. In all, 87% of the population is already connected.

Smartphones are the second source of digital reading, followed by tablets and, finally, e-Readers. The difference from other countries is the cost. The price of computers fell sharply in the last three years, and many families were able to acquire one. However, tablets and e-Readers are alarmingly expensive and prices are out of reach for most of the population.

There are many different tablets in Brazil. Besides the popular iPad, companies like Motorola, Samsung, RIM, ZTE and Asus offer their gadgets for sale. Brazilian companies also have their own equipment, such as Positivo Ypy and Multilaser Elite, but some products are imported from China and only receive the brand in Brazil.

As for e-Readers, there are just a few models available and they lose badly in quality for the best and cheapest sold in the United States. The Kindle is officially sent to Brazil, but its price can reach R$ 199 (~ US$ 115), the first to be sold for an affordable price in Brazil.

High import taxes is a problem which has to be addressed. In Brazil, the tax rate for imports of electronics in Brazil reaches up to 60%. Even when the devices are manufactured in Brazil, such as those from Samsung – and in the future Apple – taxes on components and other items make the devices too expensive. Brazil has the world’s highest prices for products from Apple. While the simplest model of iPad costs $ 499 in the United States, it’s sold in Brazil for R$ 1629 (~ US$ 943). There are efforts to reduce the tax and hence the price of devices such as tablets and eReaders. Source:

THE E-BOOK MARKET IN BRAZIL

Eighteen percent of Brazilian adults with Internet access have bought an e-book, according to Bowker’s Kelly Gallagher. In predicting e-book penetration rates, he said it is important to look at the size of the overall population combined with Internet penetration rate. In this respect, India and Brazil are the second and third largest potential e-book markets after the U.S. The reasons are:
• Growth of the middle-class economy, focused on education
• English is the universal business language. Translated works will be important, Gallagher said, but “where these readers want to go today is not in leisure reading, but primarily focused on business. And they are asking for the content in English.”
• Advancements in the online payment process (we’ve seen it in the prepaid phone card system, for instance)
• No supply chain necessary; affordable tech.

BRAZIL IS A SIGNIFICANT MARKET FOR E-BOOKS

In March and April, nearly a quarter of Americans tried reading an e-book, up from about 20% in February, according to new data from Bowker. While the U.S. is still growing in terms of e-book use, the rest of the world is catching up.

India and Brazil might represent the best opportunity for U.S. publishers interested in breaking into emerging international markets with English language e-books. Both countries have relatively low e-book adoption rates compared to the U.S.

Only 2% of Indians and 7% of Brazilians have purchased an e-book, but both countries have relatively large populations and so those numbers represent significant opportunity for U.S. publishers – more significant than countries like Australia, where penetration of e-book readers is high, but the population is low.

According to Bowker, there were nearly 25 million Indian e-book buyers in February 2012 and nearly 15 million Brazilian e-book buyers, making them the second- and third-largest e-book markets in the world behind the U.S. at nearly 60 million e-book buyers. By comparison, there are less than 5 million such book buyers in Australia. See Chart

THE E-READING TRANSITION IN INDIA AND BRAZIL WILL LOOK DIFFERENT FROM THE WAY IT HAS IN THE U.S. AND UK

• The transition is led by professional/business and academic e-books. 80 percent of Indian e-book buyers have purchased business, professional or academic e-books and nearly 75 percent of Brazilian e-book buyers have done so. “The education and business genres are key growth opportunities” in the BRIC countries, Gallagher said, compared to “leisure genres” driving the “traditional Anglo markets.”
• E-book buyers most often purchase e-books directly from the publisher. Amazon has a small market share (at least for now).

Most Indians and Brazilians are still reading e-books on PCs and laptops, but as e-readers become more affordable, these countries have the potential to “leap-frog” the U.S. in e-book penetration in the next couple of years.
Source by Laura Hazard Owen and Leia Mais

BRAZILIAN E-BOOKSTORES

In January 2010, Gato Sabido, started with just 130 titles in Portuguese. Three months later, the e-bookstore had 850 titles in Portuguese as well as 100,000 titles in English. In March, 2010, Livraria Cultura, a prominent Sao Paolo-based chain, also started selling e-books. The title selection is quite similar, with Livraria Cultura offering 500 e-books in Portuguese and another 120,000 international titles.

Saraiva, the highest grossing bookseller in the country, sells e-books. In addition, chain booksellers FNAC and Submarino are also selling e-books in Portuguese and English.
Source by Maria Fernanda Rodrigues and Ricardo Costa of PublishNews.com.br.

BRASIL HOJE

O Brasil tem uma população de 200 milhões de pessoas com o aumento do consumo entre aqueles em classes de renda alta e baixa da mesma forma. A economia do país é o maior da América do Sul. Tem também desenvolvido agricultura, mineração, manufatura e setor de serviços.

Desde 2003, o Brasil melhorou a sua estabilidade macroeconómica, construíram reservas cambiais, a dívida reduzida, manteve as taxas de inflação sob controle e comprometidos com as responsabilidades fiscais. Esta evolução tem a colocou o Brasil entre o mundo dez maiores economias.

OMS na E-LIVROS NO BRASIL

Amazon, Google e Apple anunciaram seus planos de iniciar operações no Brasil, e os dois primeiros já fizeram contratações para desenvolver os seus e-book empresas no país. Até agora, a única empresa internacional que já operam no Brasil é Copia , que poderes Submarino Digital Clube , oferecendo atualmente 9.600 e-book a títulos em Português .

Em abril de Todd Humphrey, vice-presidente executivo de desenvolvimento de negócios em Kobo , a empresa de e-book canadense, esteve no Brasil para participar do Rakuten Super Expo e ele disse ao portal de notícias do Brasil Terra que a empresa iria começar a operar no país no segundo semestre de 2012. Segundo ele, ambos os e-books e dispositivos devem estar disponíveis até o final do terceiro trimestre, em tempo para Natal .

E-LEITORES E TECNOLOGIA NO BRASIL

Brasil tem agora um conjunto mínimo de dispositivos para ler e-books. Estima-se 400.000 iPads, mais de um milhão de iPhones. O número de e-readers no Brasil ainda são incertos, mas há pelo menos dezenas de milhares de pessoas – tendo em conta que muitos modelos estão à venda no país desde 2010/2011, além do Kindle. Como muitos deles são Kindles, não sabemos ainda.

Para popularizar o livro digital, é necessário ter os dispositivos de leitura digitais de fácil acesso, tanto econômicos e tecnológicos. A interface mais utilizada para ler e-books no Brasil é o PC tradicional, seja desktop ou notebook. Segundo dados da FGV, 60 milhões de computadores estavam em uso em 2011, e será de 100 milhões em 2012. O principal local de acesso à Internet é a Sala de Internet (31%), seguido da residência (27%) e na casa de parentes de amigos, com 25%. No total, 87% da população já está ligado.

Os smartphones são a segunda fonte de leitura digital, seguido de comprimidos e, finalmente, e-leitores. A diferença de outros países é o custo. O preço dos computadores caiu drasticamente nos últimos três anos, e muitas famílias foram capazes de adquirir um. No entanto, comprimidos e e-readers são assustadoramente caro e os preços estão fora do alcance para a maioria da população.

Há muitos comprimidos diferentes no Brasil. Além do iPad popular, empresas como Motorola, Samsung, RIM, ZTE e Asus oferecer seus aparelhos para venda. As empresas brasileiras também têm o seu próprio equipamento, como Positivo Ypy e Elite Multilaser, mas alguns produtos são importados da China e só recebem a marca no Brasil.

Quanto aos e-leitores, há apenas alguns poucos modelos disponíveis e eles perdem muito em qualidade para o melhor e mais barato vendido nos Estados Unidos. O Kindle é oficialmente enviado ao Brasil, mas seu preço pode chegar a R $ 199 (~ EUA $ 115), o primeiro a ser vendido por um preço acessível no Brasil.

Altas taxas de importação é um problema que tem de ser abordada. No Brasil, a taxa de imposto para importação de produtos eletrônicos no Brasil chega a até 60%. Mesmo quando os dispositivos são fabricados no Brasil, como os da Samsung – e no futuro da Apple – os impostos sobre componentes e outros itens fazem os dispositivos muito caro. O Brasil tem preços mais elevados do mundo para produtos da Apple. Enquanto o modelo mais simples de custos iPads $ 499 nos Estados Unidos, ele é vendido no Brasil por R $ 1629 (~ 943 dólares EUA). Há esforços para reduzir o imposto e, portanto, o preço de dispositivos, tais como comprimidos e eReaders. Fonte:

O MERCADO E-BOOK NO BRASIL

Dezoito por cento dos adultos brasileiros com acesso à internet ter comprado um e-book, de acordo com Kelly Bowker Gallagher. Ao prever <a taxas de penetração , ele disse que é importante olhar para o tamanho da população em geral combinada com taxa de penetração da Internet. A este respeito, Índia e Brasil são os segundo e terceiro maiores potenciais e-book mercados após os EUA As razões são:
• Crescimento da economia da classe média, com foco na educação
• Inglês é a linguagem universal de negócios. Obras traduzidas será importante, Gallagher disse, mas “onde estes leitores quer ir hoje não está na leitura de lazer, mas principalmente focada em negócios. E eles estão pedindo o conteúdo em Inglês. ”
• Avanços no processo de pagamento online (já vimos isso no sistema pré-pago de telefone de cartão, por exemplo)
• Nenhuma fonte de corrente necessário; tecnologia acessível.

O BRASIL É um mercado significativo para E-BOOKS

Em março e abril, quase um quarto dos norte-americanos tentei ler um e-book, acima dos cerca de 20% em fevereiro, de acordo com novos dados de Bowker. Enquanto os EUA ainda está crescendo em termos de e-book uso, o resto do mundo está a aproximar-se.

Índia e Brasil pode representar a melhor oportunidade para as editoras norte-americanas interessadas em quebrar em mercados emergentes internacionais com idioma Inglês e-books. Ambos os países têm relativamente baixas taxas de adoção e-book em comparação com os EUA

Apenas 2% dos indianos e 7% dos brasileiros têm comprado um e-book, mas ambos os países têm populações relativamente grandes e por isso esses números representam uma oportunidade significativa para as editoras norte-americanas – mais importante do que países como a Austrália, onde a penetração de leitores de livros eletrônicos é alta, mas a população é baixa.

De acordo com a Bowker, havia quase 25 milhões de indianos e-book compradores em fevereiro de 2012 e quase 15 milhões de brasileiros e-book compradores, tornando-os segundo e terceiro maior e-book mercados do mundo, atrás os EUA em cerca de 60 milhões e-book compradores. Em comparação, há menos de 5 milhões de compradores de livros tais na Austrália.

A TRANSIÇÃO E LEITURA-NA ÍNDIA E BRASIL terá uma aparência diferente da forma como ela tem no EUA e Reino Unido

• A transição é liderada por profissional / empresarial e acadêmico e-books. 80 por cento dos indianos e-book compradores adquiriram negócios, profissional ou acadêmica e-books e quase 75 por cento dos brasileiros e-book compradores fizeram. “Os gêneros de educação e de negócios são oportunidades de crescimento” nos países do BRIC, Gallagher disse que, em comparação com “gêneros de lazer” Conduzir o “tradicionais mercados Anglo.”
• Os E-book na maioria das vezes os compradores comprar e-books diretamente do editor. Amazônia tem uma pequena quota de mercado (pelo menos por agora).

A maioria dos indianos e brasileiros ainda estão lendo e-books em PCs e laptops, mas como leitores eletrônicos se tornam mais acessíveis, estes países têm o potencial de “pular carniça” os EUA em e-book penetração no próximo par de anos.

BRASILEIRO E-LIVRARIAS

Em janeiro de 2010, Gato Sabido, começou com apenas 130 títulos em Português. Três meses depois, o e-livraria teve 850 títulos em Português, bem como 100.000 títulos em Inglês. Em março de 2010, Livraria Cultura , um proeminente Sao Paolo cadeia baseada, também começou a vender e-books. A seleção título é bastante semelhante, com a Livraria Cultura oferece 500 e-books em Português e outros títulos de 120.000 internacionais.

Saraiva, o maior livreiro bilheteria no país, vende e-books. Além disso, as livrarias da cadeia FNAC e Submarino também estão vendendo e-books em Português e Inglês.
Fonte por Fernanda Rodrigues e Ricardo Costa de PublishNews.com.br.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: